Escolha uma Página

Como Captar Clientes na Advocacia – 3 Dicas Práticas

Como Captar Clientes na Advocacia – 3 Dicas Práticas

 

Artigo escrito em parceria com o Dr. Murilo Aith, do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados

 

Sumário

1) A sofrência do começo de carreira

2) Como Captar Clientes na Advocacia

3) Conclusão (com um bônus)

 

Como captar clientes na advocacia

 

1) A sofrência do começo de carreira

 

Nós aprendemos muita coisa durante o curso de Direito: princípios, artigos de lei, entendimentos de doutrinadores, jurisprudência, etc. Muitas faculdades também focam na carreira acadêmica dos alunos, ou então preocupam-se em prepará-los para concursos.

 

Mas se tem uma coisa que não nos ensinam é como utilizar tudo isso que a gente aprendeu na prática da advocacia, não é mesmo? Pelo menos, na minha experiência, eu saí da faculdade totalmente despreparada para esta profissão.

 

Há muito mais coisas nesta área do que somente a teoria do Direito e muitos conhecimentos básicos acabam nos escapando:

  • Como recolher as custas do processo?
  • Como atender um cliente?
  • Como fechar parcerias com outros advogados?
  • Como gerir um escritório?
  • Como captar clientes?

 

Esta e muitas outras perguntas podem tirar o sono de um jovem advogado e até mesmo desanimar alguém que poderia ter um futuro brilhante.

 

Talvez você se sinta mal por não saber essas coisas consideradas tão básicas. Mas saiba que a culpa não é sua! Ninguém nasce sabendo e poucos de nós fomos preparados para a carreira.

 

Mas calma que existe solução! Se você ama a advocacia e quer ser um advogado de sucesso, é possível superar essas dificuldades com estudo e dedicação.

 

Atualmente, existe muito conteúdo online que promete ajudar com este assunto (vídeos, cursos online, artigos, etc). Alguns são bons, outros nem tanto… Pensando nisso, eu e meu colega Murilo Aith, do escritório Aith, Badari e Luchin Advogados, resolvemos escrever alguns artigos que gravitem em torno do tema “gestão de escritório de advocacia”.

 

Hoje, o tema será dicas para a captação de clientes. Este tema, na minha opinião, é o mais urgente para o advogado que está iniciando na carreira pois, se não tem cliente, não tem petição para escrever, não tem custas para recolher, não tem parceria para fechar, hehehe!

 

Sobre o que mais você quer ler? Conte para mim nos comentários!

 

2) Como Captar Clientes na Advocacia

 

Ah, só para deixar claro: todas as dicas deste artigo estão de acordo com o nosso estatuto de ética, ok?

 

1) Seja um especialista

 

O pior conselho que eu ouvi no início da minha carreira foi: “Você deve aceitar qualquer causa que aparecer enquanto não tiver uma quantidade suficiente de clientes.”

 

Não faça isso!

 

Primeiro porque não é eficiente: você vai demorar uma era para conseguir concluir cada caso, porque você vai ter que estudar muito cada um, concorda? Já que você não é especialista em nada, tudo vai ser novidade e difícil para você.

 

Segundo, porque captar clientes sendo especialista é muito mais fácil. As pessoas tendem a querer resolver o problema jurídico delas com um especialista no assunto. E elas estão certas: você iria consultar um dentista a respeito de um problema no pé?

 

Então escolha uma área que você goste, estude muito e torne-se um especialista!

 

2) Fale (muito) sobre a sua especialidade

 

Seja nas reuniões familiares, seja no happy hour, sempre puxe o assunto sobre algum tema da área na qual você atua. De preferência sobre um tema recente, para você não parecer um maluco que não tem outro assunto…

 

Por exemplo, você pode aproveitar uma notícia sobre queda de um avião para falar (rapidamente) sobre a aposentadoria especial dos aeronautas.

 

Dessa forma, as pessoas próximas a você saberão que você é um especialista na área e te procurarão quando surgir um problema (ou te indicarão).

 

Acredite em mim: as pessoas não vão lembrar que você é especialista em direito previdenciário (por exemplo) só porque você mencionou uma vez. Agora, se você está falando sobre isso toda hora, vai entrar na cabeça delas por osmose, hehehe!

 

3) Escreva e divulgue artigos

 

Esta dica é bem semelhante à dica anterior, mas aproveita as facilidades da era digital.

 

É importante que você escreva artigos sobre temas da sua área de especialidade e os divulgue nas redes sociais. Assim, seu círculo de amigos e familiares terão ainda mais acesso ao seu conhecimento e se lembrarão mais facilmente de você quando precisarem.

 

Mas tome cuidado: escreva de forma que seus clientes, que são pessoas leigas, possam entender, ok? Cuidado com o juridiquês.

 

3) Conclusão (com um bônus)

 

Estude, torne-se um especialista e conte para todo mundo sobre isso!

 

Pode parecer simples demais para ser verdade, mas se você seguir essas três dicas e persistir no seu objetivo, você colherá os frutos muito antes do que imagina! Eu sou a prova viva disso…

 

Sabia que foi assim que eu captei quase todos os meus clientes?

 

Pois é… E fazendo assim existe ainda um bônus como efeito colateral: você terá mais segurança sobre seus próprios conhecimentos. Um advogado seguro de si transmite muito mais confiança para os clientes (e fecha mais contratos por causa disso).

 

Tem coisa melhor?

Como comecei e fiz crescer meu blog sobre Direito

Como comecei e fiz crescer meu blog sobre Direito

 

Prezados colegas advogados, olá!

 

Após a insistência de alguns amigos advogados e de perceber que eu realmente atingi um certo sucesso com o meu blog “Adblogando” (neste último mês eu tive quase 170 mil visualizações de página), resolvi compartilhar um pouco deste conhecimento com toda a advocacia.

 

Se as informações deste artigo forem úteis a você, não deixe de compartilhá-lo e escrever um comentário com a sua opinião, OK?

 

Sumário

1) Blog x Ética na advocacia

2) O início: registro de domínio

3) O Blogger do Google

4) JusBrasil: seu lindo

5) SEO e gostar de escrever

6) A grande mudança

7) Redes sociais

8) Sete dicas

Link para o curso

 

Como comecei e fiz crescer meu blog

 

1) Blog x Ética na advocacia

 

Inicialmente, esclareço que não há problema ético algum em o advogado possuir um blog, contanto que respeite os parâmetros do Código de Ética. Vejamos este julgado do Tribunal de Ética da OAB/SP:

 

ARTIGOS E TEXTOS EM SITE OU BLOG DE ADVOGADO, ESCRITÓRIOS DE ADVOCACIA OU SOCIEDADES DE ADVOGADOS – POSSIBILIDADE – APLICAÇÃO DO CÓDIGO DE ÉTICA E DO PROVIMENTO 94/2000 DO CONSELHO FEDERAL DA OAB – OPINIÃO “VIRTUAL” – IMPOSSIBILIDADE – DIVULGAÇÃO DE SERVIÇOS PELA INTERNET – LIMITES E REGRAS ÉTICAS A SEREM OBSERVADOS – IMPOSSIBILIDADE DE USO DO NOME FANTASIA – INFRAÇÕES ÉTICAS.

Não há infração ética na redação de textos técnicos, de assuntos relacionados à área de atuação do escritório ou do advogado, desde que, logicamente, se evite a redação de artigos que possam instigar pessoas a litigar, ou que contenham qualquer tipo de auto-engrandecimento, ou quaisquer outras formas de angariação de clientela. Os artigos somente podem ser fornecidos a colegas, clientes, ou pessoas que os solicitem ou os autorizem previamente, nos termos do § 3.º do artigo 29 do Código de Ética e Disciplina da OAB. Pode a internet ser admitida como novo veículo de comunicação eletrônica, mas, por isso, deve respeitar as regras e limites éticos; portanto, está sujeita ao regramento devidamente estabelecido no Código de Ética e Disciplina e no Provimento nº 94/2000 do Conselho Federal da OAB. Se o “site” ou blog sob consulta pretender a oferta de serviços com divulgação profissional, utilizando meios promocionais típicos de atividade mercantil tais como nome fantasia e ofertando serviços de aconselhamento jurídico, com evidente implicação em inculca e captação de clientela, infringirá os artigos 34, II, do EAOAB, 5º, 7º, 28, 29 e 31 “caput” do CED e o art. 4º, letras b, c e l, do Provimento 94/2000. A divulgação de sites com “opinião virtual”, considerando a divulgação indiscriminada que a Internet propicia, não há de ser permitida, mantendo-se a respeito os pronunciamentos desta casa (E-1.435, 1.471, 1.640, 1.759, 1.824, 1.847, 1.877). Precedentes: E-3661/2008, E-2.102/00 e E-3.205/05.

Proc. E-3.664/2008 – v.u., em 16/10/2008, do parecer e ementa da Rel.ª Dr.ª BEATRIZ MESQUITA DE ARRUDA CAMARGO KESTENER – Rev. Dr. BENEDITO ÉDISON TRAMA – Presidente Dr. CARLOS ROBERTO F. MATEUCCI.

 

Ou seja, os artigos publicados no blog devem ser informativos, e nunca uma forma de engrandecimento do advogado ou algo que instigue as pessoas a litigar. Você pode, por exemplo, explicar que existe uma tese para revisão de aposentadoria, mas não pode dizer algo como “Procure nosso escritório hoje mesmo para conseguir sua revisão! ”

 

Dito isso, passemos ao objetivo deste artigo: contar um pouco de como eu comecei e fiz crescer meu blog.

 

2) O início: registro de domínio

 

Eu comecei a pensar em fazer um blog mais ou menos na metade do ano de 2.013. Visitei o site Registro.br e registrei o domínio http://alessandrastrazzi.adv.br/. O Registro.br é o departamento do NIC.br responsável pelas atividades de registro e manutenção dos nomes de domínios que usam o .br (“ponto br”). . Você pode registrar um domínio em outros sites que oferecem este serviço, mas eu preferi registrar direto “na fonte”.

 

Registrar um domínio é baratinho: apenas R$ 30,00 por ANO. E é muito mais profissional do que usar domínios gratuitos, como o “blogspot.com.br” ou “wordpress.com”.

 

3) O Blogger do Google

 

Após isso, fiquei “enrolando”, sem saber o que fazer, até dezembro de 2.013. Neste mês eu comecei a fazer um blog no “blogger” do Google. Esta ferramenta é bem fácil de usar e te dá a opção de usar o seu próprio domínio, além de ser gratuita. Foi bem divertido fazer um blog no blogger e eu consegui montar um site até que bem bonitinho, usando a ferramenta do blogger e imagens gratuitas que eu achava na internet.

 

Obs.: Apesar de ter gostado de usar o blogger, eu não recomendo que você comece a utilizá-lo. Mais para frente neste artigo eu explico o motivo. Mas esta é somente minha opinião.

 

Então, no final de dezembro de 2.013 eu publiquei o meu primeiro artigo. Mas os poucos leitores que eu tinha eram apenas os meus amigos que chegavam ao meu blog através dos meus compartilhamentos no Facebook.

 

Ah, como era difícil fazer o Google colocar algum texto meu nas primeiras páginas de busca! Hoje em dia, tenho vários artigos meus na primeira colocação do Google e recebo cerca de 108.970 leitores por mês direto das buscas “orgânicas”.

 

Obs.: Busca orgânica significa os resultados naturais, ou seja, “não pagos”, de um mecanismo de busca, como Google, Bing ou Yahoo! (fonte)

 

4) JusBrasil: seu lindo

 

Após isso, eu janeiro de 2.014 eu comecei a publicar meus artigos também no JusBrasil. E a coisa mudou bastante, passei a ter muitos mais leitores! O JusBrasil me proporcionava (e me proporciona até hoje) muito mais leitores do que o meu blog, pois este site / rede social jurídica é gigante e muito respeitado! Comecei a colocar, nos artigos publicados no JusBrasil, links para o meu blog, chamando os leitores para conhecê-lo e isso funcionou muito bem.

 

JusBrasil

 

5) SEO e gostar de escrever

 

E até mais ou menos a metade de 2.014 foi assim: eu simplesmente escrevia sem qualquer técnica de SEO (Search Engine Optimization), publicava no meu blog e, depois, no JusBrasil e fui crescendo, bem devagar.

 

Obs.: Search Engine Optimization (SEO) é um conjunto de técnicas, métodos e/ou estudos que visam melhorar o posicionamento de suas páginas no mecanismo de busca, ou seja, quando um usuário digita no mecanismo de busca uma palavra-chave, o objetivo do SEO é fazer com que uma (ou várias) das páginas do seu website, apareça entre os primeiros resultados da busca orgânica (fonte).

 

Apesar de não saber nenhuma técnica, eu gostava (gosto) MUITO de escrever e informar as pessoas. Isso transparece nos meus textos e as pessoas percebem. Dessa forma, mesmo que você não tenha técnica nenhuma, se você gostar de escrever e tiver o objetivo de realmente ajudar as pessoas que leem o seu artigo, suas chances de sucesso são muito grandes.

 

6) A grande mudança

 

Continuando… Em meados de 2.014 eu fiz um curso online que ensinava, entre outras coisas, como montar um blog de sucesso. Com este curso aprendi várias coisas, dentre as quais: algumas técnicas de SEO, como contratar uma hospedagem, como trabalhar com o WordPress.org (que é uma plataforma de blogs muito melhor que o blogger), como mudar totalmente a “cara” do blog (layout) mesmo sem saber programar nada e como usar o Google Analytics.

 

Obs.: O Google Analytics é um serviço grátis e fantástico do Google, que permite a você monitorar em detalhes todas as visitas que você recebe em seu blog ou site. É possível saber quantas pessoas visitam seu blog, de que site elas vieram, que artigos acessaram, em que parte do mundo estão e muito mais (fonte).

 

É ESSENCIAL usar o Google Analytics. É só por causa dele que eu sei, por exemplo, que neste último mês tive 170 mil visualizações de página, que, neste exato momento, 39 pessoas estão visitando meu blog e que 37,47% das pessoas que visitaram meu blog no último mês têm entre 25 e 34 anos de idade.

 

Este foi um momento crítico para o meu blog. Eu mudei a minha hospedagem gratuita do Google para uma hospedagem paga (nada muito caro, cerca de R$ 20,00 por mês) e também mudei a plataforma do blogger para o WordPress.org (também é gratuito).

 

Se eu puder dar uma só dica para você começar o seu blog hoje seria: use o wordpress! Não o wordpress.com (este eu nunca usei, mas dizem que é pior que o blogger), mas o wordpress.org. Não vou entrar em detalhes ou este artigo vai ficar imenso, mas digo que o WordPress torna muito mais fácil “profissionalizar” um blog.

 

Apesar de ser possível migrar o seu blog do blogger para outra hospedagem, eu não recomendo isso. Deu MUITO trabalho e até hoje eu tenho que ficar arrumando os links quebrados que foram gerados com esta mudança! Se estiver começando, aprenda com meus erros e comece direito! Hehe! Fica a dica!

 

Ah, nesta época e eu também contratei uma designer que fez um logo lindo para o meu blog (pelo menos eu acho, haha!). Valeu super a pena o investimento, porque um logo bonito com cores bem trabalhadas faz toda a diferença! O seu blog precisa ser bonito também!

 

Isso porque segundo pesquisas realizadas em 2014 por empresas especializadas em tráfego online, um internauta leva apenas 8 segundos para decidir se continua navegando no seu site ou se fecha a página e parte para a página do concorrente (fonte).

 

7) Redes sociais

 

É muito importante também você compartilhar os seus artigos nas redes sociais, como Facebook, Twitter e Google+. Se você não divulga, as pessoas não ficam sabendo que seu blog existe, certo?

 

Atualmente, eu compartilho os meus artigos nos meus perfis pessoais do Facebook e do Google+, nas minhas páginas do Facebook e do Google+, na minha página do Twitter e no meu perfil do Linkedin.

 

Redes Sociais

 

8) Sete dicas

 

Resumidamente, é esta a história de como eu comecei e fiz crescer o meu blog “Adblogando”. Posso dar a você, que já tem ou pretende começar um blog, as seguintes sete dicas:

  1. Registre um domínio próprio;
  2. Contrate uma hospedagem;
  3. Monte o seu blog com o WordPress.org e o faça ficar bonito;
  4. Estude técnicas de SEO;
  5. Use o Google Analytics;
  6. Compartilhe seus artigos nas redes sociais;
  7. Escreva com amor <3.

 

Desejo a você boa sorte com o seu projeto! E, por favor, não deixe de compartilhar este artigo e de deixar um comentário!

Alessandra Strazzi

Alessandra Strazzi

Advogada | OAB/SP 321.795

Advogada por profissão, Previdenciarista por vocação e Blogueira por paixão! Autora dos blogs “Adblogando“ e "Desmistificando". Formada pela Universidade Estadual Paulista / UNESP.

Pin It on Pinterest